Seu guia de como contratar um motoboy para delivery - My Food Site

My Food Site

Seu guia de como contratar um motoboy para delivery

A decisão de como contratar um motoboy terá consequências significativas para o seu negócio de delivery. O entregador tem um impacto total no contato entre o cliente e sua empresa, e nesse sentido, é essencial que você faça a melhor escolha. A boa escolha pode ser a diferença entre conquistar ou perder o seu cliente! Assim, independentemente da experiência que você tenha, ou se está começando agora a montar seu delivery, vale a pena dedicar alguma atenção a este assunto. A questão da contratação vai além da distinção entre “motoboy próprio X terceirizado”, e há aspectos importantes a serem considerados antes mesmo de se definir o tipo de contrato. Então, acompanhe nossa discussão e garanta que terá não apenas os melhores motoboys para entregar seus produtos, mas também a melhor estrutura nessa relação de trabalho.

A decisão de como contratar um motoboy terá consequências significativas para o seu negócio de delivery.

O entregador tem um impacto total no contato entre o cliente e sua empresa, e nesse sentido, é essencial que você faça a melhor escolha.

A boa escolha pode ser a diferença entre conquistar ou perder o seu cliente!

Assim, independentemente da experiência que você tenha, ou se está começando agora a montar seu delivery, vale a pena dedicar alguma atenção a este assunto.

A questão da contratação vai além da distinção entre “motoboy próprio X terceirizado”, e há aspectos importantes a serem considerados antes mesmo de se definir o tipo de contrato.

Então, acompanhe nossa discussão e garanta que terá não apenas os melhores motoboys para entregar seus produtos, mas também a melhor estrutura nessa relação de trabalho.

VEJA TAMBÉM: COMO CRIAR CARDÁPIO DIGITAL PARA DELIVERY?

Dicas de como contratar um motoboy

Para responder à questão de como contratar um motoboy, você precisa ter bem claro quais são as necessidades do seu negócio e as desse profissional

Como veremos, muitas cláusulas do contrato dependerão de um acordo entre você e o motoboy. 

Por isso, é fundamental conhecer melhor os detalhes desse serviço.

Assim, mesmo que você procure um serviço terceirizado, saberá avaliar o que é justo ou não nos termos que ele estiver propondo.

Confira agora os principais aspectos que você deve analisar antes de contratar motoboy para entrega.

Do que o seu restaurante precisa?

Comece avaliando as possibilidades de atendimento do seu restaurante em relação às áreas da cidade, seu público-alvo e produtos que você oferece.

Isso lhe dará maior clareza quanto às distâncias, volume de vendas e valores que estarão envolvidos nessa operação.

A partir daí, é essencial que você entenda bem como funciona a logística de entrega, montando estratégias adequadas e oferecendo os treinamentos necessários à sua equipe.

Vale ressaltar que essa logística envolve desde os canais de recebimento de pedidos até a operação de entrega propriamente dita.

E lembrando sempre que o motoboy será a única pessoa nesse processo todo que estará em contato direto com o seu cliente. 

Como o representante máximo da sua marca, sua apresentação e comportamento no ato da entrega serão decisivos para a resposta do cliente!

Em muitos casos ainda, é ele quem fará a cobrança dos pedidos — o que acrescenta mais um aspecto delicado à sua escolha.

Portanto, seja qual for seu meio de contratação de motoboys, lembre-se da importância de encontrar alguém de confiança.

E observe também quais são os dias e horários de maior movimento em seu delivery, para definir os horários em que precisa de um entregador ou se vai precisar de mais de um.

Do que um motoboy precisa?

Um motoboy precisa de uma moto. E por mais óbvio que isso seja, é preciso levantar este ponto porque há um aspecto muito importante envolvido aí.

Como explica a firma de advocacia Moreno, a Justiça do Trabalho determina que, mesmo que o motoboy use um veículo próprio a seu serviço, é a sua empresa que será responsável pelos encargos com ele.

Então, os custos de manutenção e combustível devem estar diluídos no valor final que você pagará, caso não assuma diretamente esses custos.

Por outro lado, existe a opção de disponibilizar um veículo para o entregador. 

Neste cenário, há ainda a possibilidade de customizar o veículo, o que terá um impacto bastante positivo sobre seus clientes, favorecendo o processo de fidelização.

De qualquer modo, toda essa demanda do entregador com equipamentos e com a própria segurança são questões que você deve conhecer e acompanhar.

O mesmo vale para o conhecimento do trânsito e das rotas da região em que você atende, além da necessidade de saber usar aplicativos e aparelhos tecnológicos como mapas e GPS.

Embora esses conhecimentos sejam de responsabilidade exclusiva do motoboy, eventualmente será preciso orientar ou oferecer treinamento nesse sentido para não perder um bom profissional.

Em resumo, acompanhe de perto as necessidades desse profissional para garantir que tudo ocorra da melhor maneira possível.

Tipos de contratação

Basicamente, há duas maneiras de contratar motoboys para delivery: a contratação de um entregador próprio e a terceirização.

Cada uma delas apresenta vantagens e desvantagens, e ainda, outros desdobramentos e possibilidades diferentes de contratação. 

A partir de agora, explicamos em detalhes cada uma dessas formas para você escolher a mais adequada às suas demandas e interesses.

Contratação de motoboys próprios

A contratação do próprio motoboy dá mais autonomia às suas entregas, já que os entregadores ficam à disposição do seu restaurante para quando forem requisitados.

E dessa forma, você também pode desenvolver estratégias com treinamentos específicos ou customização de uniformes, por exemplo, que causarão maior impacto positivo em seus clientes.

Então, mesmo que esta pareça a alternativa mais cara, num primeiro momento, isso pode ser compensado aumentando a satisfação dos clientes.

Como você mesmo pode concluir, esse aumento de satisfação gera mais atração e pode acabar se refletindo em um aumento no lucro.

Para contar com seu próprio motoboy, há duas possibilidades de contrato: o CLT e o contrato PJ, usado para entregadores com MEI.

O contrato com carteira assinada (CLT) transforma o entregador em um funcionário da sua empresa, configurando um vínculo empregatício.

Isso dá a ele os direitos básicos assegurados pelas leis trabalhistas como FGTS, férias, 13o salário etc, gerando maior estabilidade para o contrato.

Já o  MEI é o trabalhador autônomo, que representa um custo menor para você e mais liberdade para que ele trabalhe com outras empresas.

Mas tenha em mente que esse formato, seguramente, impactará na forma como esse profissional se dedicará à sua marca.

Afinal, nessa modalidade não existe um vínculo empregatício, sendo apenas um acordo de parceria entre duas empresas (pessoas jurídicas).

Nas duas modalidades de contrato, você pode especificar horários de trabalho ou ajustar o valor dos pagamentos conforme o que for acertado entre vocês.

Terceirização do serviço de entrega

Mesmo que você opte por contratar o próprio motoboy, eventualmente pode acabar precisando de entregador extra.

Por isso, é sempre bom conhecer canais de terceirização. 

A primeira opção é conhecer uma boa empresa de motoboy para delivery, considerando-se ainda a possibilidade de formar parcerias.

Um exemplo desse modelo é a Sode, que faz a conexão entre empresas e motoboys preparados e fáceis de serem contatados.

No entanto, sugerimos que você pesquise em sua localidade aquela que melhor atenda às suas necessidades.

A segunda alternativa seria contar com um aplicativo de motoboys, o que, mais uma vez, varia conforme o local em que você atua.

Os métodos de pagamento e localização de entregadores também variam em cada aplicativo, mas você pode ter um bom exemplo conhecendo a Loggi.

Outra alternativa é simplesmente cadastrar seu restaurante em aplicativos de delivery como iFood ou Rappi que incluem o serviço de entrega.

Neste caso, você vai lidar com diferentes taxas de entrega e outras questões estipuladas pelos aplicativos como pedidos mínimos.

Todas essas opções são interessantes para restaurantes com poucos pedidos e que acabaram de começar, por serem mais fáceis e mais baratas.

Mas é importante observar que em nenhuma delas você terá controle sobre a disponibilidade de motoboys, ou sobre o tempo e as taxas de entrega.

Para se destacar no mercado e explorar mais estratégias de atração de clientes, o ideal é buscar por autonomia desde o sistema de delivery até a logística de entrega.

Quanto custa contratar um motoboy?

O custo de um motoboy varia conforme o tipo de contrato e os acordos que você fizer diretamente com o profissional.

Os pagamentos podem corresponder a um mês de serviços ou ao número de entregas, dias ou horas trabalhadas.

Assim, a decisão de como contratar um motoboy envolve essa negociação e precisa de bastante atenção quanto às suas possibilidades financeiras.

Em termos de custos para sua empresa, a terceirização e o contrato PJ são mais acessíveis, mas como veremos a seguir, nenhum deles tem o mesmo potencial da CLT de gerar retorno para sua empresa.

Os custos são mais altos pelo fato da CLT envolver benefícios e tributações. Assim, se o motoboy recebe 1.500 reais por mês, por exemplo, o custo ficará em torno de 3.000 reais.

No entanto, essa diferença se justifica por um profissional mais comprometido com a sua marca e que pode ajudá-lo a crescer o seu empreendimento.

É muito importante ter em mente que, muitas vezes, o barato sai caro. 

Então, foque na alternativa PJ se seu empreendimento ainda não tem caixa para uma contratação via CLT.

Mas tenha essa contratação interna no seu radar.

Qual é a melhor forma de contratar motoboys?

Considerando-se, principalmente, a autonomia nas entregas, a contratação de um motoboy próprio é a melhor alternativa para o delivery de alimentos.

Essa autonomia representa mais domínio sobre as taxas e o tempo de entrega, permitindo estratégias que impactem positivamente sobre os clientes, como a do underpromise

Dentro desse modelo, o contrato MEI só é uma boa alternativa para empresas que estão começando.

Para o motoboy, um contrato PJ (MEI) sempre será melhor que atuar como freelancer, e pode até representar um valor maior do que ele receberia como CLT, pois a empresa terá que pagar menos encargos e poderá oferecer um valor líquido mais alto.

Mas nem por isso o contrato PJ se torna o ideal para o trabalhador, que tem direitos trabalhistas garantidos por lei que podem superar a mera questão do pagamento líquido.

Para empresas que podem arcar com esse custo, a CLT é o tipo ideal de contrato.

Ela possibilita um respeito maior às leis trabalhistas e dá mais segurança ao funcionário, o que pode se reverter em benefícios também para a empresa.

Conclusão: acerte seguindo este guia de como contratar um motoboy

Sabendo tudo o que precisa sobre como contratar um motoboy, você já pode colocar em prática seus conhecimentos e oferecer um ótimo serviço de entrega.

Com o tipo certo de contrato, pode ainda explorar novas estratégias capazes de gerar impactos cada vez mais positivos sobre os seus clientes.

E se estiver disposto(a) a se aprofundar e ampliar a reflexão para outros aspectos da entrega, será capaz de otimizar o serviço e tornar-se uma referência para o seu público.

Agilizar a entrega, por exemplo, é uma forma de gerar satisfação ao cliente e pode resultar em um aumento na clientela, maior ticket médio e fidelização dos clientes.

Quer conhecer maneiras de reduzir o tempo de entrega

Então clique no botão abaixo e confira o nosso artigo sobre o tema!

COMO REDUZIR O TEMPO DE ENTREGA NO DELIVERY


Hey! Você gostou deste conteúdo? Então compartilhe com seus amigos. Isso nos ajuda a continuar produzindo conteúdos de qualidade que melhoram o dia a dia do seu negócio!

Tag do Post :

Compartilhe :